O nosso termostato

O nosso termostato tem duas “peças” preciosas. A pele e os músculos. Quando está calor o sangue surge com maior quantidade na pele para se arrefecer e se o calor for intenso o suor dá uma ajuda para que a temperatura baixe. Se está frio, o sangue evita passar pela pele para que não se perca o pouco calor que temos. As mãos andam frias e o nariz também. Os músculos irão dar uma ajuda se a temperatura baixar em demasia. O bater do queixo e as tremuras refletem essa tentativa de aumentar a produção de calor. Agasalhe-se e mexa-se, dirão alguns. Mas se nos dias quentes a tensão arterial anda habitualmente mais baixa (chegamos a ter tonturas por ela estar tão baixa), no inverno e nos dias frios, a tensão anda mais alta. Se já somos hipertensos medicados devemos estar mais atentos à nossa tensão. Aqueles pequenos esforços que poucas consequências trazem durante o verão, no inverno podem desencadear aquela impressão, aquele aperto que, quem tem angina de peito, tão bem conhece. Agasalhe-se por favor.

Dr. Luís Negrão

 

Partilhar:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone