A Morte Súbita não escolhe idades

A Morte Súbita Cardíaca é definida como sendo uma morte de causa natural, devida a uma doença cardíaca, caracterizada por uma perda súbita de consciência, e que ocorre dentro de uma hora após o início dos sintomas agudos. A doença cardíaca subjacente pode ou não existir previamente, mas o momento e o modo da morte são inesperados.

A Morte Súbita de causa cardíaca corresponde a 20% de todas as mortes, com uma incidência de cerca de 1 por 1000 habitantes/ano. Em 2/3 das situações é provocada pela doença coronária, e contribui para a mortalidade dos doentes coronários em mais de 50% dos casos.

A incidência da Doença Coronária aumenta com a idade. Isto não obsta que a morte súbita possa ocorrer em qualquer idade, uma vez que há outras doenças estruturais cardíacas, não isquémicas, que eventualmente podem levar a uma paragem cardíaca inesperada. Fazem parte deste grupo patologias como as Miocardiopatias, a Displasia Arritmogénea do Ventrículo Direito, e até Doenças Valvulares. Com menor incidência (5 a 10%), pode ocorre também em algumas das chamadas “Doenças Elétricas”, como é o caso do Síndrome de Brugada, do Síndrome de QT Longo ou Bloqueios Cardíacos Completos. Há ainda casos de Morte Súbita Cardíaca Familiar e até mesmo uma pancada forte numa pequena área do tórax pode levar à paragem cardíaca, é o chamado “Commotio Cordis”, que pode ocorrer em desportos como o hóquei, basebol ou golfe. Também o consumo de determinados Fármacos ou Drogas pede levar à morte Súbita.

 

Prof. Doutor João Lopes Gomes

Cardiologista
Presidente da Delegação Norte da Fundação Portuguesa de Cardiologia
Partilhar:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone