Fatores de risco modificáveis e não modificáveis

Publicado a 29 de janeiro de 2018

 

São apenas 5 os fatores de risco associados a cerca de 80% dos ataques cardíacos: a hipertensão arterial; a obesidade; o tabagismo; o colesterol; a inatividade física. Todos estes fatores podem ser modificáveis, quer por medicação, quer por alteração de hábitos e de comportamentos. Uns poderão ser mais fáceis de alterar, outros poderão ser mais difíceis.

A idade é também um fator de risco de doença cardíaca. A doença aparece mais frequentemente à medida que a idade avança, apesar de ser cada vez mais frequente o aparecimento de doença aos 25 e 30 anos de idade. Os homens morrem mais cedo por doença cardíaca do que as mulheres e morrem por ataque cardíaco enquanto as mulheres morrem mais tarde e o AVC é habitualmente a causa mais frequente. Uma história familiar carregada de doença cardíaca precoce, é um fator pouco favorável para a minha saúde. Já o ditado o diz, “quem sai aos seus não degenera”. A hipertensão arterial e a diabetes são não só mais frequentes nos indivíduos de raça negra como são também mais difíceis de tratar e são dois importantes fatores de risco de doença cardíaca.

A idade, o sexo, a história familiar e a etnia são, por isso, fatores que condicionam o aparecimento da doença cardíaca mas nada posso fazer para os alterar.

 

Dr. Luís Negrão

Assessor Médico da Fundação Portuguesa de Cardiologia

 

 

Partilhar:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone