Cuidados a ter numa ida às compras

A realização de uma alimentação saudável baseia-se nas escolhas alimentares que fazemos diariamente e essas assentam, sobretudo, no tipo de opções que temos disponíveis. Em casa, torna-se mais fácil optar por alimentos com pouca gordura, pouco açúcar e pouco sal se for essencialmente esse o tipo de produtos disponíveis nesse meio. O desafio encontra-se, então, em conseguir comprar apenas esse tipo de alimentos.

Muitas vezes, quando nos dirigimos às grandes unidades comerciais para adquirir os produtos que necessitamos para o nosso dia a dia, facilmente caímos na tentação de comprar alguns produtos adicionais, que na realidade não precisamos, e no que toca aos alimentos, geralmente com uma composição nutricional prejudicial à nossa saúde cardiovascular.

São vários os motivos que estimulam a escolha destes produtos no momento da compra, desde o seu aspeto apelativo, a grande variedade disponível, a organização dos produtos, a fome, o cansaço, o stress, a falta de tempo para fazer melhores escolhas, entre tantos outros. Porém, existem algumas estratégias que todos nós, consumidores, podemos aplicar previamente e durante o momento da compra, de modo a evitar cometer esses (pequenos) erros e, deste modo, conseguir restringir as nossas compras ao que necessitamos apenas, e aos produtos benéficos para a nossa saúde.

 

Previamente ao momento da compra, essas estratégias passam por:

  • Elaborar uma lista de compras, que inclua apenas os produtos que realmente necessita e pretende comprar. Essa lista deve estar presente no momento da compra, e de cada vez que a verificar, saberá exatamente o que tem a comprar, e a tendência para dispersar para outros produtos e adquirir itens extra será menor. Na elaboração da lista, evite incluir limentos ricos em açúcar, gorduras e sal.
  • Fazer uma estimativa do gasto total e tentar não ultrapassar esse valor no momento das compras. Esta medida é mais fácil para quem tem já o hábito de fazer compras regularmente, uma vez que a noção do preço dos alimentos está mais perto do seu valor real. Ter uma estimativa de quanto precisa realmente de gastar ajuda a ponderar e a relativizar a aquisição de produtos extra e desnecessários.
  • Comer antes de ir às compras, seja uma refeição completa, seja apenas um snack rápido como um iogurte ou uma peça fruta. As cadeias comerciais apresentam diversas estratégias para que o consumidor seja estimulado a consumir mais e a adquirir maior quantidade de produtos. Se fizer compras já alimentado, sentirá menos fome e menos vontade de explorar os alimentos à sua volta, ou mesmo de comprar por impulso alimentos extra como snacks cheios de açúcar e gordura e com impacto negativo para o coração.

 

No momento da compra, essas estratégias passam por:

  • Levar a lista de compras previamente elaborada, bem como a estimativa do gasto total associado.
  • Evitar levar as crianças para as compras. A sua presença pode ser necessária para que escolham quais os produtos da sua preferência dentro da vasta gama de produtos disponíveis; contudo, as crianças são mais suscetíveis a ficarem interessadas por novos produtos, especialmente snacks doces e com muita gordura, incentivando os adultos a adquiri-los. Tentar saber previamente as preferências das crianças é uma estratégia para adquirir os produtos certos sem levar outros de “brinde” para casa.
  • Ler os rótulos dos alimentos que pretende comprar, analisando a informação nutricional e a lista de ingredientes atentamente, e comparar com outras opções de modo a poder realizar escolhas mais saudáveis. O desconhecimento da composição nutricional dos produtos consumidos leva a que muitas vezes se adquiram produtos com impacto negativo sem uma verdadeira consciência por parte do consumidor, pelo que este simples gesto pode ter um grande impacto na mudança de hábitos alimentares e na saúde (saiba mais aqui).
  • Efetuar compras com calma e tempo. Numa sociedade atual marcada pelos múltiplos afazeres, pelo stress e pela falta de tempo, esta pode ser por vezes uma medida difícil de pôr em prática; contudo, é muito importante ter tempo para realizar as compras calmamente, conhecendo os alimentos que se pretende adquirir e realizando escolhas informadas e conscientes. Ir às compras com pressa impossibilita tudo isso, favorecendo a aquisição de produtos pouco saudáveis, bem como a aquisição de produtos por impulso.
  • Preferir as caixas de pagamento automático. As caixas de pagamento atendidas são rodeadas de revistas, chocolates e pastilhas de modo a chamar a atenção do consumidor enquanto espera pela sua vez de pagar, e estimular assim a sua aquisição no último minuto. Isto não acontece nas caixas de pagamento automático, pelo que optar por estas pode tornar-se uma opção mais inteligente e mais prática.
  • Efetuar compras online. Esta é das melhores estratégias para evitar compras desnecessárias, uma vez que os alimentos não se encontram presencialmente no seu campo de visão, o que permite um maior foco nos produtos que realmente pretende comprar. Além disso, acaba por poupar tempo por não ter que se deslocar às cadeias comerciais nem estar nas filas para pagar, tempo esse que pode aproveitar para ler os rótulos dos alimentos que pretende comprar e fazer escolhas mais saudáveis.

 

Aplicando estas estratégias, a realização de escolhas mais saudáveis no momento da compra, sem a aquisição de snacks e outros alimentos extra, torna-se mais fácil e eficaz. Adquirindo apenas produtos benéficos para a sua saúde, consegue realizar uma alimentação saudável e contribuir positivamente para um bom estado a nível cardiovascular.

 

Joana Ferreira

Nutricionista Estagiária à Ordem dos Nutricionistas
Partilhar:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone