Cardiopatia Isquémica: o que é?

A cardiopatia isquémica é, à semelhança do que acontece no motor de um automóvel, quando o tubo que leva a gasolina ao motor está muito “sujo” por dentro.

O motor dos nossos carros necessita de gasolina para trabalhar. A gasolina está no depósito e é transportada ao motor por um tubo que por vezes com a idade fica “sujo”; não fica completamente entupido mas a quantidade de gasolina que debita ao motor não chega para as necessidades.

Assim, enquanto o motor esta em repouso, não está em esforço, o motor trabalha bem. No entanto, quando se acelera ou quando se exige mais esforço por parte do motor (quando subimos uma ladeira íngreme ou quando transportamos demasiada carga), aí a gasolina que o tubo faculta ao motor é insuficiente e o motor perde a força, “gagueja” e pode mesmo ir-se abaixo.

Quando as nossas coronárias estão ligeiramente entupidas e o fluxo de sangue que debitam ao coração está limitado, então, quando exigimos mais do nosso coração, porque estamos a subir uma rua, umas escadas ou a desenvolver qualquer esforço (evacuar pode ser um exemplo de um esforço)  aí ele pode “gaguejar”, pode trabalhar mal ou pode mesmo “ir-se abaixo”. A angina de peito caracteriza-se por uma dor, opressão, peso no peito quando o coração quer trabalhar e o oxigénio que lhe chega pelas artérias coronárias é insuficiente. A dor surge, o cansaço torna-se mais fácil e pode até parar de trabalhar.

No carro, temos que levar à oficina e eventualmente substitui-se o tubo da gasolina. No nosso coração, podemos ter que colocar um bypass ou colocar um stente. O nosso motor é mais delicado e requer outros cuidados.

O problema é que no nosso carro andamos sempre com mil cuidados, no nosso motor somos por vezes descuidados e só nos lembramos de Sta. Barbara quando troveja.

.

Dr. Luís Negrão

Assessor Médico da Fundação Portuguesa de Cardiologia

 

Partilhar:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone