Ano Novo, Vida Nova

Serão 12 passas, um taça de champanhe e desejos de um ano melhor. Será?

Será sim. É provável que não mudemos tudo o que gostaríamos ou que deveríamos mudar. É provável que as mudanças que efetuarmos vão estar aquém das que deveríamos fazer, mas reconhecermos que temos que mudar, é meio caminho andado para melhorarmos.

Mudar comportamentos não é tarefa fácil. Há comportamentos que serão mais fáceis de mudar do que outros, mas para que eu mude é necessário que faça intenções de mudar e isso reflete que a minha atitude perante a minha tensão arterial, perante o meu colesterol ou perante o meu peso, mudou.

Começar o ano com essa vontade expressa é começar o 2017 com muita vontade de viver com saúde e essa atitude pode fazer a diferença no seu agregado familiar, nos seus vizinhos e nos seus colegas de trabalho.

Boas entradas é um ano novo cheio de coisas boas.

 

Luís Negrão 

Assessor Médico da Fundação Portuguesa de Cardiologia
Partilhar:
Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someone